Como a integração de técnicas pode evitar o problema de inspeções de peças variadas

  •  

Este artigo explora os muitos problemas que os operadores da inspeção por partículas magnéticas enfrentam ao ensaiar peças diferentes que exigem padrões e critérios de aceitação específicos em um mundo que não aceita erros

Wyatt Burns - Especialista de Inovação

 

 

A garantia da qualidade é o objetivo mais importante para evitar falhas catastróficas e graves perdas de vidas no setor de END. A confiança total nas peças ensaiadas é cada vez mais difícil de se manter conforme aumenta a pressão sobre operadores e gerentes de END para aumentar o volume de produção de peças e, ao mesmo tempo, expandir a flexibilidade do ensaio para uma gama muito maior de peças.

As instalações de ensaio não destrutivo são responsáveis por assegurar que qualquer peça que entre pela porta seja devidamente verificada e ensaiada, pois há vidas em jogo. Geralmente, a eficiência sofre devido à ênfase na garantia de qualidade, e não é sem motivo.

 

Mais peças = Mais técnicas: Desafios do gerenciamento de técnicas

Algumas instalações de END começaram a migrar para métodos eletrônicos de registro de dados, mas muito poucas eliminaram totalmente o trabalho em papel. De maneira semelhante, registros de procedimentos geralmente são guardados em pastas ou em uma pasta de rede compartilhada por toda a empresa. Isso torna relativamente fácil pesquisar por nome de cliente ou código, mas ainda exige que um operador procure manualmente a técnica e ajuste os parâmetros da máquina de partículas magnéticas com precisão. Isso não apenas aumenta o tempo necessário para iniciar o processo de inspeção, mas introduz uma possibilidade de erro.

Há um número imenso de fatores em jogo para criar cada técnica que define exatamente como o operador deve ensaiar cada peça. Receitas são usadas para ajustar parâmetros de máquina (corrente, tipo de disparo, temporizador), enquanto as técnicas incluem todas as configurações e instruções da receita (orientação da peça, condutor central, critérios de aceitação etc.).

A comunicação de técnicas atualizadas e o treinamento sobre o ajuste correto de máquinas são frequentemente ignorados neste setor. É tão fundamental obter resultados corretos que nenhuma empresa pode se dar ao luxo de cometer erros.

Para entender como lidar com a grande variabilidade de peças, primeiro é preciso entender como as técnicas são criada, o resultado disso para os operadores e os quais parâmetros da receita devem ser ajustados em qualquer máquina.

 

5 passos essenciais para que a inspeção por partículas magnéticas seja bem-sucedida

  1. Conhecimento adequado de códigos, normas e especificações aceitas aplicáveis
  2. Procedimento escrito por um ASNT Nível III com base nos fatores acima
  3. Processo de validação através de demonstração por equipe qualificada, calibração do equipamento e ensaio de amostra de descontinuidade conhecida
  4. Ensaio realizado por equipe qualificada para ensaio de partículas magnéticas.
  5. Registros dos relatórios de ensaio e registros detalhados de controle da qualidade

 

Esses elementos exigem atenção frequente para acompanhar as demandas do setor e as diretrizes do cliente. Operadores e gerentes da qualidade devem manter-se vigilantes em usar as técnicas mais atuais, especialmente quando as peças testadas variam muito.

Essas técnicas são para peças individuais, mas a receita da máquina, especificamente a corrente, pode precisar de ajuste para atender aos requisitos de campo magnético ao mudar para uma nova máquina. Isso ocorre devido à idade da máquina, fabricante, modelo e muitos outros fatores, como a área de superfície de conexão.

 

Motivos para técnicas diferentes

Não há como fugir do fato de que muitas técnicas precisam ser escritas. Cada peça requer técnicas muito específicas devido aos motivos listados abaixo e muitos mais.

  • Composição do material
  • Métodos de fabricação (ou seja, fundição ou usinagem)
  • Tamanho e forma da peça
  • Posições da peça onde ocorrem falhas críticas (pontos de indicação não relevantes)
  • Variações do diâmetro (requer diversos disparos)

O que pode ser mudado é a maneira pela qual essas receitas são usadas e comunicadas. O custo de não ter fichas técnicas armazenadas em um sistema de banco de dados conveniente e fácil de usar crescerá conforme a preocupação aumenta com a repetibilidade do ensaio e a complexidade das peças.

 

Simplifique através de técnicas integradas

Ensaiar mais peças, em última análise, aumenta a complexidade operacional, desde a maior quantidade de fichas técnicas até o tempo gasto no ajuste dos parâmetros da máquina para cada peça nova.

Essa complexidade pode ser significativamente reduzida utilizando técnicas integradas e ou um sistema de código de barras. Leia digitalmente seu trabalho seguinte com rapidez e inicie o próximo ensaio com parâmetros de máquina predefinidos. Não é necessário buscar arquivos para encontrar as técnicas, porque este sistema de banco de dados pode armazenar até 1.000 receitas individuais na própria máquina.

Veja mais detalhadamente por que este sistema é uma boa forma de lidar com a variabilidade de peças.

 

1. Melhora a rastreabilidade do controle da qualidade

Os parâmetros de teste permanecem consistentes, a data e a hora da inspeção são registradas, o código é rastreado e o nome e o número da técnica são marcados.

 

2. Minimiza o tempo para processar peças

Em vez de encontrar uma receita em uma pasta volumosa ou de clicar em arquivos, qualquer operador pode pesquisar facilmente um banco de dados usando um código para obter a técnica e a receita para qualquer peça. O valor desse recurso aumenta quanto mais um operador tiver que trocar peças durante um turno e também para operadores menos experientes.

 

3. Minimiza o erro do operador

A integração de receitas na máquina elimina qualquer chance de esquecimento de um parâmetro ou de um erro acidental do operador durante o ajuste e avaliação da peça. Quando o banco de dados define automaticamente os parâmetros da máquina através de uma receita armazenada, o risco de ensaio ou aceitação incorretos diminui significativamente.

 

4. Gerenciamento de arquivos mais fácil

As receitas estão disponíveis localmente em um mesmo lugar e são rastreadas por qualquer fator que você deseje, fornecendo informações claras de como as peças foram ensaiadas. Isso também permite que as receitas sejam atualizadas remotamente, o que aumenta a eficiência do gerenciador e reduz o risco de um operador ignorar uma mudança.

 

5. Foco no futuro

Manter as receitas em um banco de dados facilita as atualizações e a inclusão de novas técnicas que podem ser exportadas para qualquer arquivo e comunicadas com muita rapidez. Este primeiro passo para uma máquina mais inteligente torna qualquer melhoria de processo futura ainda mais fácil e mais benéfica.

 

Dicas para começar

Pergunte-se onde o seu processo de partículas magnéticas estará em 5 anos, você pode usar as perguntas abaixo para começar a gerar ideias:
 

  1. Quais são os dois maiores desafios que você enfrenta no seu departamento de END?
  2. Que novos trabalhos ou projetos você espera assumir nos próximos anos?
  3. Quais desafios você espera ter em relação a recursos nos próximos 5 anos? Eles podem incluir equipe, orçamento, especialização etc.
  4. Que mudanças importantes você espera ver em seu setor? As peças estão ficando mais complexas, novos materiais estão sendo usados, novos regulamentos ou especificações começam a ser usados?

 

Quer aprimorar o seu processo de inspeção? Entre em contato com nossa equipe.

Conheça nossa linha de máquinas estacionárias de partículas magnéticas para ensaios não destrutivos.

Please wait while we gather your results.

Artigos Relacionados

Demonstração de máquina móvel de inspeção por partículas magnéticas

Unidade móvel de magnetização para inspeção por partículas magnéticas [Vídeo]

Descubra como utilizar o equipamento de magnetização da série M para realizar inspeções por partículas magnéticas em uma grande variedade de peças grandes e pesadas.

Leia mais

MRO - Ensaio Não Destrutivo Aeroespacial

Redução de perda de partículas durante o ensaio por partículas magnéticas [Estudo de caso]

Nesse estudo de caso, auxiliamos um cliente MRO do setor aeroespacial a identificar e solucionar oscilações impressionantes em sua concentração de partícula magnética

Leia mais

Veículo Oleoso para Ensaio de Partículas Magnéticas

Perguntas frequentes sobre veículo oleoso para Ensaios Não Destrutivos

Conheça o Carrier II - o veículo oleoso aprovado para END da Magnaflux e o que o diferencia dos óleos base não aprovados que são comumente utilizados como o querosene ou óleos de baixa viscosidade.

Leia mais

Máquina Estacionária de Partículas Magnéticas

Máquina multidirecional de partículas magnéticas MD2060

Veja a versatilidade da máquina multidirecional de partículas magnéticas MD-2060 em ação. Conheça como este equipamento pode te auxiliar a economizar tempo e dinheiro.

Leia mais

Magnetização multidirecional para inspeção por partículas magnéticas

O benefício de usar esse método é a economia de tempo. Em alguns casos, a peça pode exigir vários disparos magnéticos, exigindo, assim, o mesmo número de inspeções. Com esse método, dependendo da geometria da peça, o processo pode ser feito usando somente um disparo magnético e inspeção.

Leia mais

Máquina estacionária de Partículas Magnéticas Magnaflux

Equipamento de partículas magnéticas para acoplamentos OCTG [Vídeo]

Aprenda como um sistema de ensaio de partícula magnética semiautomatizado para inspeção de acoplamentos OCTG pode facilitar o manuseio e aumentar a segurança do operador

Leia mais

Tesde de Decantação de Partículas Magnéticas

Desempenho do teste de estabilização de partícula magnética com Carrier II [Vídeo]

Veja como os três veículos oleosos mais comuns utilizados em ensaios de partículas magnéticas se saem em um teste de volume de decantação e estabilização conforme a norma ASTM E1444.

Leia mais

Como realizar a manutenção preventiva em uma máquina de partículas magnéticas

A manutenção regular do equipamento de partículas magnéticas é fundamental para que os ensaios não destrutivos possam garantir boas condições nas inspeções e reduzir o tempo de inatividade.

Leia mais

Comparação de Partículas Magnéticas

Como o brilho e o contraste afetam as inspeções de END

Como a percepção e a visão podem ter um impacto significativo na propabilidade de detecção em inspeções de ensaios não destrutivos

Leia mais

Demonstração de Ensaio por Partículas Magnéticas Visíveis

Como fazer um ensaio de partícula magnética visível

Veja uma demonstração do método de ensaio não destrutivo por partícula magnética visível de acordo com a ASTM E1444, incluindo os passos básicos de ensaio utilizando um yoke eletromagnético.

Leia mais

Demonstração de Ensaio por Partículas Magnéticas Fluorescentes

Como fazer um ensaio de partícula magnética fluorescente

Veja uma demonstração do método de ensaio não destrutivo por partículas magnéticas fluorescentes de acordo com a ASTM E1444, incluindo os passos básicos de ensaio utilizando partículas magnéticas e máquina estacionária.

Leia mais

Veículo Oleoso - Carrier II Magnaflux

A importância do uso do óleo correto para inspeção por partículas magnéticas

Neste artigo, explicamos por que o veículo oleoso é uma peça crítica do processo de inspeção por partículas magnéticas e quais características observar ao escolher a melhor opção para realizar seu ensaio não destrutivo

Leia mais

Inspeção por Partículas Magnéticas

5 dicas rápidas para ensaio de partícula magnética [Infográfico]

Dicas úteis para iniciantes que estão se familiarizando com o ensaio de partícula magnética ou profissionais de END que desejam um guia de referência fácil

Leia mais

Os 10 erros mais comuns sobre o ensaio por partícula magnética

10 erros comuns sobre o ensaio por partícula magnética

Este artigo aborda as suposições incorretas mais comuns sobre a inspeção por partículas magnéticas e oferece algumas soluções para esclarecer esses equívocos

Leia mais

Desafio do gerenciamento de técnicas

Como a integração de técnicas pode evitar o problema de inspeções de peças variadas

Este artigo explora os muitos problemas que os operadores da inspeção por partículas magnéticas enfrentam ao ensaiar peças diferentes que exigem padrões e critérios de aceitação específicos em um mundo que não aceita erros.

Leia mais

Acessórios para inspeção por partículas magnéticas

8 Ferramentas para medir o desempenho do ensaio de Partículas Magnéticas

Neste artigo, listamos e explicamos por que cada acessório de Inspeção de Partículas Magnéticas é necessário para validar o desempenho do sistema de uma inspeção.

Leia mais

Cadastre-se para receber nossas notícias:

Magnaflux

Av. Jorge Alfredo Camasmie, 670
Embu das Artes / SP
CEP 06816-050 
Tel: +55 (11) 4785.0470

 

Select Your Country North America Mexico Brazil China Europe Russia India New Zealand, Australia, Japan, Southeast Asia
© 2018 Magnaflux - Todos os direitos reservados.
top

Colocamos cookies no seu computador para oferecer a melhor experiência possível com o nosso site. Esses cookies também são utilizados para garantir que mostramos um conteúdo que é relevante para você. Se você continuar sem alterar suas configurações, estará concordando com nosso uso de cookies para melhorar sua experiência do usuário. Você pode clicar no link de configurações de cookie em nosso site para alterar suas configurações de cookies a qualquer momento.